domingo, abril 30, 2006

Caiu na rede, ore!


A vida ás vezes nos prega peças
Nos faz armadilhas,
Ficamos presos como um peixe na rede

Sufocados, sem ar para respirar
Desesperados, sem luz na escuridão
Ameaçados, sem coragem de lutar

Nestas horas, nestes difíceis momentos
Recorremos a todos os santos, a Deus
Pedimos, suplicamos para escapar

Rezamos, como se fosse costume
Prometemos, como se fossemos ser melhores
Choramos, como se acreditássemos nisso

Na verdade logo que a rede rasgar
Tão logo nos libertamos, esquecemos
As promessas, as lágrimas e Deus

Sorrimos, pois sabíamos que tudo iria dar certo
Agradecemos, pois acreditamos que isso basta
Mentimos, pois achamos que já passou

Nunca espere o pior acontecer
Para procurar Deus
Tenha sempre Deus no coração
E o pior não vai acontecer nunca, Acredite!!

Um comentário:

Pedro Paulo da Gama Bentes disse...

Belo poema, como uma mensagem de crença admirável. Afinal é Nele que buscamos conforto e apoio. E além do belo poema a escolha da imagem que é também um poema visual, tal a interação que tem com os versos.Parabéns